Home | Itapira Noticias | Pontos Turísticos | Telefones | Legislação |
Busca
       Secretaria de Saúde

      Programas da Rede Básica
Contato:
Telefone: 19 38634428
e-mail: saude.ouvidoria@itapira.sp.gov.br

I

 

I.                  Assistência no ciclo gravídico – puerperal (SIS – pré-natal)

 

II.               Visita domiciliar da puérpera e RN (1º ao 7º dia)

 

III.           Assistência à concepção e contracepção (vide Planejamento Familiar)

 

IV.            Prevenção do câncer do colo de útero

 

V.               Prevenção do câncer de mama

 

VI.            Assistência ao climatério

 

VII.        Assistência às doenças ginecológicas prevalentes

 

VIII.     Prevenção e Tratamento das DST/Aids

 

 

Introdução

 

O Programa de Assistência Integral à Mulher tem como objetivo a assistência às necessidades globais de saúde da mulher, decorrentes da sua condição bio-psicosocial, além das relacionadas ao aparelho reprodutivo, através de atividades gerais e especificas.

Será descrito a seguir, as ações desenvolvidas no Município de Itapira para com a mulher visando o cumprimento dos compromissos do Sistema Único de Saúde.

 

Justificativa

 

O programa de atenção à saúde da mulher tem sido uma das prioridades das políticas de saúde pública dada a magnitude e importância histórica da mulher na sociedade nas últimas décadas (MAEDA CIOSAK, 2005, p. 189).

A mulher se preocupa com seus familiares, com afazeres domésticos e com sua vida profissional, se esquecendo muitas vezes da importância de sua saúde.

O programa visa promover a saúde, elevar a consciência de prevenir as doenças, tratamento e recuperação.

O Programa de Assistência Integral a Saúde da Mulher faz interface com o Programa Saúde da Criança através do Pré-natal e do Programa Saúde do Adulto. A mulher é o esteio familiar dando tranqüilidade à família e sendo a principal responsável pelos cuidados prestados aos filhos.

 

Público Alvo

 

Prestar assistência integral à saúde da mulher em todo o ciclo vital.

 

Objetivos

 

-         Assistência ao ciclo Gravídico Puerperal: - pré-natal (baixo e alto risco), parto e puerpério.

-         Assistência ao abortamento.

-         Assistência à concepção e anticoncepção.

-         Prevenção do Câncer de Colo de Útero.

-         Prevenção do Câncer de Mama.

-         Assistência ao Climatério.

-         Assistência às doenças ginecológicas prevalentes.

-         Prevenção e tratamento das DST/AIDS.

 

 

Equipe Multidisciplinar Responsável

 

- Coordenadora do Projeto: Enfermeira Vera Marilza de Souza Vomero.

 

- Coordenação nas UBS: Enfermeiras do PSF e UBS.

 

- Equipe Médica: Ginecologistas e Obstetras das UBS.

 

- Equipe de Enfermagem: Auxiliares e técnicos de enfermagem do PSF e UBS.

 

- Coordenação Geral: Enfermeira Thuê Camargo Ferraz de Ornellas.

 

 

Local de Atendimento

 

Todas as Unidades Básicas de Saúde (vide endereços).

 

I. Assistência do Ciclo Gravídico Puerperal (SIS-Pré Natal)

 

As ações programáticas realizadas pela Unidade Básica, com enfoque na mulher gestante, consistem em um conjunto de atividades assistenciais e educativas que se iniciam pelo acompanhamento da gestante e família, na visita domiciliar nos grupos educativas e na consulta de enfermagem e médica.

A detecção precoce da gravidez é o início das ações voltadas ao pré-natal garantem a melhoria na qualidade de assistência à mulher.

O SisPreNatal é o software que foi desenvolvido pelo Datasus, com a finalidade de permitir o acompanhamento adequado das gestantes inseridas no Programa de Humanização no Pré-Natal e Nascimento (PHPN), do Sistema Único de Saúde.
            No SisPreNatal está definido o elenco mínimo de procedimentos para uma assistência pré-natal adequada. Permite o acompanhamento das gestantes, desde o início da gravidez até a consulta de puerpério.
            O Programa de Humanização no Pré-natal e Nascimento instituído pelo Ministério da Saúde, através da Portaria/GM nº 569, de 01/06/2000, é baseado nas análises das necessidades de atenção específica à gestante, ao recém-nascido e à mulher no período pós-parto, busca:

-         Concentrar esforços no sentido de reduzir as altas taxas de morbi-mortalidade materna e perinatal;

-         Adotar medidas que assegurem a melhoria do acesso, da cobertura e da qualidade do acompanhamento pré-natal, da assistência ao parto, puerpério e neonatal;

-         Ampliar as ações já adotadas pelo Ministério da Saúde na área de atenção à gestante, como os investimentos nas redes estaduais de assistência à gestação de alto risco, o incremento do custeio de procedimentos específicos e outras ações, como o Projeto de Capacitação de Parteiras Tradicionais, do financiamento de cursos de especialização em enfermagem obstetrícia e a realização de investimentos nas unidades hospitalares integrantes destas redes.

O Programa de Humanização no Pré-natal e Nascimento está estruturado nos seguintes princípios:

-         Toda gestante tem o direito ao acesso a atendimento digno e de qualidade no decorrer da gestação, parto e puerpério;

-         Toda gestante tem direito de conhecer e ter assegurado o acesso à maternidade em que será atendida no momento do parto;

-         Toda gestante tem direito à assistência ao parto e ao puerpério e que seja realizada de forma humanizada e segura, de acordo com os princípios gerais e condições estabelecidas pelo conhecimento médico;

-         Todo recém-nascido tem direito à assistência neonatal de forma humanizada e segura.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

1.1- Fluxograma para diagnóstico de gravidez e acompanhamento do Pré-natal:

 

 

Observações:

 

1-     As gestantes de baixo risco farão consulta com gineco/obstetra mensalmente.

2-     As gestantes de médio e alto risco os retornos serão agendados a critério do médico gineco/obstetra.

3-     Em caso de ausência do médico, será responsabilidade do enfermeiro a consulta da gestante.

4-     Na primeira consulta de enfermagem será aberto pela recepção da unidade de saúde o SIS Pré-Natal e enviado para o Faturamento o cadastro..

5-     O cartão da gestante do Ministério da Saúde será entregue para a usuária inscrita no SIS-Pré Natal.

 

 

1.2- Exames da Rotina para Iniciar o Pré-Natal

 

Anotar em prontuário o resultado do BHCG e/ou Pregnosticon e a solicitação dos exames necessários para o inicio do Pré-Natal, que estão relacionadas abaixo:

-         Hemograma completo;

-         PPF (Proto Parasitológico de Fezes);

-         Urina I;

-         Glicemia em jejum;

-         Sorologia para H.I.V (após esclarecimento e concordância verbal da mulher) - Sorologia de Hepatite B (HbsAg);

-         Tipagem sangüínea (ABO) com fator Rh;

-         VDRL;

Observação: O resultado dos exames será avaliado em consulta médica, através do agendamento no grupo de Pré-natal.

 

 

1.3- Roteiro para Primeira Consulta de Enfermagem

 

A primeira consulta do pré-natal tem como objetivo: acolher a mulher respeitosamente sua condição emocional em relação a atual gestação, esclarecer duvidas, medos, angústias, curiosidades em relação a este novo momento em sua vida.

Identificação e classificação de riscos, confirmação de diagnóstico, adesão ao pré-natal e educação para saúde, estimulando o auto-cuidado.

 

Recomendações

 

1-     Ler o prontuário, para levantar possíveis problemas ali relatados.;

2-     Esclarecer que o pai da criança ou qualquer acompanhante pode participar do atendimento;

3-     Levantar as expectativas da gestante com relação ao atendimento do pré-natal e sua gestação. Explicação proposta do acompanhamento do pré-natal;

4-     Utilização da Sistematização da Assistência de Enfermagem (S.A.E.), anotando:

·        Realização do exame físico;

·        Registrar os achados, diagnóstico ou levantamento de enfermagem, plano de cuidados ou prescrição da enfermagem com:

-         Agendamento no grupo de gestantes;

-         Agendar a primeira consulta médica;

-         Orientações de acordo com a anamnese;

-         Atenção para o calendário vacinal;

-         Informar importância da participação nas palestras mensais.

5-     Preenchimento do cartão da gestante do Ministério da Saúde;

6-     Em caso de gestante adolescente, encaminha-la para o Programa de Adolescentes com a consulta médica marcada;

7-     Observar questões relativas ao planejamento familiar;

8-     Encaminhar para assistência odontológica.

 

 

1.4- Calendário da Vacina

 

            Toda gestante deverá ser: imunizada com a vacina antitetânica da seguinte forma:

·        Esquema completo:

o       3ª dose com mais de 5 anos, fazer uma dose de reforço, no 5º mês de gestação.

o       3ª dose com menos de 5 anos, não necessitará do reforço.

 

·        Esquema incompleto:

o       Completar o esquema à partir do 5º mês de gestação.

 

 

·       Sem esquema de vacinação:

o       Realizar as três doses, sendo que a 1ª dose será no 5º mês.

 

 

1.5- Rotina para a Realização da Consulta Médica e/ou de Enfermagem

 

            Recepção:

-         Acolhimento;

-         Separação do prontuário;

-         Encaminhamento do prontuário e da gestante para a Pré-consulta.

 

Pré-consulta:

-         Realizada pelo Auxiliar e/ou Técnico de Enfermagem;

-         Verificação de dados antropométricos e vitais;

-         Encaminhamento da gestante para a palestra e orientação para o local da consulta;

-         Verificação da falta da gestante na consulta e encaminhamento do nome para convocação.

-         Verificação da caderneta de vacina.

 

Consulta Médica:

-         O médico fica responsável pela consulta, determinação do risco gestacional, medicamentos necessários e padronizados, coleta de CO se necessário;

-         É responsável pelos exames laboratoriais necessários no 7º mês (glicemia e urina I e VDRL). (Poderão ser pedidos pelo enfermeiro na falta do mesmo);

-         Todas as orientações necessárias e dúvidas das gestantes;

-         Responsável pelo puerpério da gestante;

-         Anotações no prontuário e caderneta da gestante;

 

Pós-consulta:

 

-         Responsável pelo agendamento, em livro próprio, da gestante no grupo de pré-natal;

-         Responsável pelas orientações após a consulta medica e/ou enfermagem;

-         Marcação de exames;

Orientações necessárias.

 

 

1.6- Visita Domiciliar

 

            Será realizada pelas Agentes Comunitárias de Saúde, mensalmente, para acompanhamento, reforço das orientações recebidas e convocação de faltosas. Em caso de necessidade a visita será realizada pelo Enfermeiro.

            Nas visitas as Agentes Comunitárias de Saúde tentarão envolver toda a família, sendo abordado:

-         Rever com a gestante técnica de amamentação;

-         Encontrar estratégias para descobrir se a gestante sabe cuidar de seu bebê como: higiene, curativo do colo umbilical e vestuário;

-         Observar espaço físico e ambiente familiar;

-         Identificar com a família possíveis cuidados para apoiá-la.

 

1.7- Recomendações do Conteúdo para Grupos durante o Pré-Natal

 

-         Mudanças fisiológicas do corpo;

-         Evolução do feto;

-         Sexualidade;

-         Aspectos emocionais;

-         Atividade física;

-         Alimentação;

-         Auto-cuidado e auto-estima;

-         Trabalhar mitos e tabus com a gestante e família;

-         Direito Trabalhista da gestante;

-         Imunização;

-         Amamentação;

-         Cuidados com o R.N.;

-         Parto;

-         Puerpério;

-         Planejamento Familiar.

 

As palestras serão de responsabilidade do Enfermeiro que poderá delegar a outros membros da equipe desde que dentro de suas capacidades técnicas legais.

 

1.8- Assistência ao abortamento

 

Em caso de abortamento a mulher receberá assistência do medico ginecologista, visita domiciliar realizada por agentes comunitários de saúde, com apoio do enfermeiro para acolhimento e orientações necessárias.

Para procedimentos médico/hospitalar as unidades básicas encaminham para o Hospital Municipal de Itapira. As adolescentes contam com o Grupo de Adolescente formado por uma equipe: Ginecologista, Enfermeiro, Psicóloga e Assistente Social.

 

 

II. Visita Domiciliar da Puérpera e RN

(Vide Programa Criança Saudável)

 

            A visita domiciliar da puérpera será realizada pelas Agentes Comunitárias de Saúde e deverá ser realizada até o 7º dia com o objetivo de:

-         Avaliar a gestante e o ambiente familiar;

-         Estímulo ao aleitamento materno;

-         Importância do exame do Pezinho;

-         Importância da consulta de puerpério.

 

Em caso de dificuldade a visita deverá ser realizada pela Enfermeira.

 

 

III. Assistência à concepção e anticoncepção

 

            Embora ter ou não filhos seja uma opção pessoal, cabe ao governo oferecer os meios para esse planejamento. É o caso de orientação adequada e métodos contraceptivos, disponíveis na rede publica da saúde.

            De acordo com a constituição federal com a Lei 9.263 de 12 de janeiro de 1996 é responsabilidade do Estado proporcionar condições para que homens e mulheres tenham acesso a informações, meios e técnicas para a regulação da fecundidade.

            Segundo a lei, o planejamento familiar é o direto dos cidadãos de decidirem livre e responsavelmente sobre o número, o espaçamento e a oportunidade de ter filhos.

            O planejamento familiar no município compreende atividades educativas e médicas, realizada por uma equipe de saúde onde são colocadas todas as alternativas possíveis em termos de métodos anticoncepcionais, bem como o conhecimento de suas indicações, contra-indicações e implicações de uso, garantindo a mulher ou ao casal os elementos necessários para opção livre e consciente do método que a eles melhor se adaptarem.

            No município contamos com o seguinte método dentro de uma rotina:

-         Camisinha masculina: Livre oferta, é entregue na pós-consulta de rede básica;

-         Anticoncepcionais orais: são entregues mediante receita médica, mensalmente, para mulheres que possuam cadastro, inclusive anticoncepcionais orais de baixa dosagem para mulheres que amamentam;

-         Dispositivo intra-uterino: inserido pelo ginecologista após consulta médica, coleta de Papanicolau, colposcopia se necessário, para tratamento de feridas de colo de útero, de leucorréias antes da inserção. O retorno é marcado pelo ginecologista, geralmente anual e o controle é feito através de ultra-sonografia. Não há necessidade de cadastro.

-         Laqueadura e vasectomia.

 

Para os métodos contraceptivos definitivos, a equipe de saúde, incluindo o medico encaminhará o paciente/cliente para o enfermeiro da unidade, que tem em suas obrigações fazer todas as orientações como:

-         Tipo de cirurgia;

-         Conseqüências da mesma;

-         Outros métodos contraceptivos existentes;

-         Regras do Serviço e do Ministério da Saúde para a realização do procedimento.

 

Após a consulta de enfermagem, será feito o encaminhamento para a Equipe do Planejamento Familiar, composta por: médico ginecologista, enfermeira, psicóloga e assistente social que estão incumbidos de fazer orientações, o processo para realizar a cirurgia e o encaminhamento para a mesma (Vide Programa de Planejamento Familiar).

 

 

IV. Prevenção do Ca de Colo de Útero

 

O câncer de colo uterino constitui um dos graves problemas de saúde que atinge as mulheres em todo o mundo, sendo os paises em desenvolvimento responsáveis por aproximadamente 80% desses casos. Infelizmente, o Brasil muito contribui com esse panorama.

            Segundo estudo realizado pela Fundação Oncocentro de São Paulo (1997/1998) o câncer de colo uterino, apesar de apresentar queda na sua taxa padronizada de mortalidade, ainda ocupa lugar de destaque como causa de óbito nas mulheres.

            Apesar de verificar-se aumento de coletas nos serviços públicos de saúde, apenas 15% da população feminina, acima de 20 anos, realiza o teste de Papanicolau (São Paulo, 2001).

            Diante deste quadro, o enfermeiro, assim como os outros profissionais de saúdo, devem atuar na sensibilização das mulheres para a realização do exame de Papanicolau e no auto-exame das mamas, alem da busca ativa durante as visitas domiciliares, consulta de enfermagem, grupos educativos e reuniões com a comunidade.

            Todas as UBS/PSF estão aptas à coleta de exame de Papanicolau, Em março, na Semana da Mulher, a Secretaria Municipal de Saúde promove atividades especiais e os postos ficam abertos até as 21:00h para realização dos exames.

 

 

4.1- Roteiro para Consulta de Enfermagem Ginecológica

 

-         Entrevista: dados de identificação, aspectos sociais e emocionais;

-         Exame Físico: pele, cabeça, tronco e membros;

-         Exame Físico das mamas;

-         Exame Físico ginecológico: Inspeção da região vulvar e exame especular.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

4.2- Roteiro para Coleta de Papanicolau

 

-         Queixa atual;

-         Data da última menstruação;

-         Inicio da Atividade Sexual;

-         Identificar, especificar e anotar em prontuário: corrimento, uso de métodos contraceptivos, presença de dor e/ou sangramento no ato sexual, sangramento fora do período menstrual;

-         Questionar para a escolha do espéculo: numero de partos normais, obesidade;

-         Identificar fatores que interferem na coleta: gestação e histerectomia;

-         Observar e anotar após coleta: integridade do colo, presença de corrimento, sangramento ou dor no procedimento;

-         Encaminhar para colposcopia se houver dúvida quanto à integridade do colo;

-         Orientar o retorno para avaliação do resultado do exame com o enfermeiro, deve-se convocar as clientes/pacientes cujo exames estão alterados;

 

Obs: Quando a coleta de Papanicolau for realizada pelo auxiliar de enfermagem, o mesmo deverá demonstrar e explicar a usuária o auto-exame das mamas.

 

 

4.3- Orientações para coleta do Papanicolau

 

-         Manter as salas preparados com os materiais necessários de acordo com a rotina já estabelecida no Serviço Municipal de Saúde;

-         No momento do exame deve ser levantado o prontuário da usuária;

-         Humanização do atendimento;

-         Descrever para a mulher, como será realizada a coleta do exame, mostrando os materiais (kit) que será usado;

-         Realizar a entrevista da cliente e anotar na ficha padronizada pelo serviço;

-         Anotar no prontuário os achados relevantes;

-         Estar atenta para as seguintes situações: Suspeita de gravidez ou gravidez confirmada, não realizar a coleta endocervical, virgindade não informada anteriormente, encaminhar para agendamento de consulta médica.

 

 

4.4- Técnica de coleta de Papanicolau

 

            Será seguida a técnica já padronizada pelo serviço que consta no livreto da FOSP.

 

 

V. Prevenção do Câncer de Mama

 

O câncer é um problema de saúde pública, incluído entre as primeiras causas de morte de diferentes regiões brasileiras. Hoje este agravo é a segunda causa de morte por doença no Brasil. Perdendo somente para as doenças do coração, e seguido das doenças cerebrovasculares. Estima-se que o câncer da mama feminina manter-se-á como a primeira causa de morte entre mulheres. Torna-se evidente, a necessidade de um comportamento preventivo e investigatório para diagnóstico precoce deste agravo. O rastreamento (screening) do câncer de mama busca uma avaliação de indivíduos assintomáticos pára classificá-los como candidatos a exames mais refinados de avaliação, com o objetivo de descobrir uma afecção pré-maligna ou maligna em fase inicial que possa ser curada com tratamento. A mamografia é um exemplo de exame para detecção precoce do câncer de mama.

 

 

 

 

5.1- Rotina para a realização de mamografia da Secretaria Municipal de Saúde de Itapira

 

 

Definição:

 

Este é um exame radiológico realizado em um aparelho de alta resolução que permite visualizar imagens tumorais e calcificações da mama.

 

 

Objetivos:

 

·        Identificar lesões não palpáveis e descobrir o câncer de mama quando o tumor é inicial;

·        Seguir o Protocolo Canadense de indicação de screening populacional à partir dos 50 anos;

·        Pesquisar e diagnosticar casos levantados pelos ginecologistas.

 

 

Agente

·        Médico ginecologista da UBS

 

 

 

 

·        Auxiliar e técnico de enfermagem

 

 

 

 

·        Secretário Municipal de Saúde

 

 

·        Secretária de Administração

 

 

 

 

 

·        Recepcionista de UBS

 

 

·        Auxiliar ou técnico de enfermagem

Ação

·        Executa o pedido através de formulário de alto custo identificando a urgência ou rotina;

·        Envia para a enfermagem na pós-consulta;

 

 

·        Recebe o pedido através de formulário;

·        Anota em livro ata;

·        Encaminha o pedido à Administração do SMS;

 

 

·        Autoriza a mamografia;

·        Encaminha à secretária;

 

·        Agenda o exame na Santa Casa;

·        Os exames são realizados às quintas-feiras à tarde;

·        Envia o Formulário a UBS/PSF de origem;

 

 

·        Recebe o formulário autorizado e agendado;

·        Encaminha à enfermagem;

 

 

·        Recebe o formulário;

·        Comunica com o paciente através do telefone;

·        Se o paciente não possui telefone é avisado no domicilio pelos agentes comunitários de saúde para comparecer no posto antes da data prevista para o exame ou entrega o pedido no domicílio;

·        Paciente chega na UBS/PSF, recebe o formulário;

·        É orientado quando ao dia e hora do exame;

·        Anota em livro ata a entrega ao paciente;

 

 

OBSERVAÇÃO : Os exames de rotina serão atendidos pelo mês  de aniversário da paciente. Casos de urgência serão avaliados e marcados conforme disponibilidade de vagas.

 

VI. Assistência ao Climatério

 

A menopausa acarreta vários sintomas nas mulheres, desde psicológicos a físicos, sendo necessário em alguns casos serem tratados para repor harmônios diminuídos na menopausa.

Para essa assistência as unidades básicas encaminha a paciente ao ginecologista que se encarregará de pedir os exames necessários e administrará o tratamento.

Cabe a equipe de enfermagem, descobrir na comunidade mulheres nessa fase, encaminhá-las para consulta ginecológica com exame de Papanicolau atual.

 

 

VII. Assistência às doenças ginecológicas prevalentes

 

Será marcada uma consulta médica ginecológica e ficará a cargo do médico o tratamento. Em caso de tratamento cirúrgico, será realizado no Hospital Municipal.

Caberá a equipe de enfermagem, encaminhar essas pacientes para consulta médica ginecológica com o Papanicolau atual.

 

 

VIII. Prevenção e Tratamento das D.S.T./AIDS

 

Prevenção:

 

-         Exame de Citologia Oncótica.

-         Oferecimento aos usuários do teste Anti HIV.

-         Pedido de HIV a todas as gestantes.

-         Colposcopia de acordo com os seguintes critérios: Encaminhar para colposcopia toda cliente/paciente que apresentar:

o       Exame de citologia oncótica alterado: AGUS, ASCUS, NIC I, NIC II, NIC III, ...

o       Lesão macroscópia do colo do útero (“ferida”)

o       Teste de Schiller positivo.

-         Palestras na comunidade e na unidade básica.

-         Campanha de citologia oncótica anual

 

 

Referências Bibliográficas

 

-         Protocolo Saúde da Mulher – Ministério da Saúde.

-         Padronização de Atendimento para citologia oncótica após laudo – Secretaria Municipal de Saúde de Itapira-SP.

-         Protocolo de Enfermagem à Atenção a Saúde da Mulher – Prefeitura Municipal de São Paulo e Secretaria Municipal de Saúde.

Unidades de Saúde






Home | Itapira Noticias | Pontos Turísticos | Telefones | Legislação |
Busca
Rua João de Moraes, 490 - Centro - Itapira - SP - CEP. 13970-903 - Telefone: (19) 3843.9100 - Fax: (19) 3863.2449
Secretaria de Administração - Departamento de Tecnologia da Informação - Todos os direitos reservados